Anespo

A Petroensino / ETPZP com aprovação de um CTE em Energias Renováveis

A Petroensino – Ensino e Formação Profissional (proprietária da Escola Tecnológica e Profissional da Zona do Pinhal) vê a sua candidatura aos Centros Tecnológicos Especializados (CTE), aprovada. Entre 311 candidatos, o projeto da Petroensino / ETPZP foi aprovado com uma excelente pontuação. Esta aprovação significa “reequipar e robustecer” as suas infraestruturas tecnológicas pela “instalação e modernização de espaços físicos e equipamentos,” aumentando “a sua capacidade instalada com a oferta de cursos profissionais,” segundo os objetivos traçados da candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O Centro Tecnológico Especializado atribuído à Petroensino / ETPZP é, na área das energias renováveis, a que se enquadra na estratégia nacional, conforme comunicado publicamente pelo Senhor Primeiro Ministro, António Costa. Mais, trata-se do único CTE aprovado nesta área na Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL). Este CTE enquadra-se na estratégia da Escola e na sua atuação no território.

Com um investimento (apoio) de 1,2 milhões de euros, será completamente remodelado um espaço físico já existente nas instalações (edifício da antiga carpintaria) e com equipamento tecnológico altamente sofisticado.

Com a aprovação deste CTE, é intenção da Petroensino / ETPZP reforçar a sua ligação ao tecido empresarial local e regional, aumentar as suas parcerias (chamando a si os atores políticos da região, tais como, os Municípios e mesmo o Ensino Superior).

Das 311 candidaturas de escolas públicas e privadas, foram aprovadas 104 a nível nacional. Para a Região de Leiria, segundo a CIMRL, existia um total de 11 vagas, tendo sido propostos quatro projetos, ficando sete vagas para a segunda e terceiras fases em março de 2023.

As escolas cujos projetos foram deferidos, “podem agora reforçar a atratividade das formações de nível secundário de dupla certificação em domínios de especialização”. São áreas que “requerem mão de obra muito qualificada e se inserem num processo de mutação tecnológica acelerada pelos desafios da transição climática e da transição digital”, lê-se no texto da candidatura ao PRR.

Segundo o Diretor Pedagógico da ETPZP, Mestre António José Figueira Domingues, “este CTE irá proporcionar aos alunos dos cursos profissionais um conjunto de competências que advém da atualização e impacto tecnológico pela via da modernização das instalações e reequipamento e que serão um contributo valioso para sua valorização profissional e o seu ingresso no mercado de trabalho. O profissional, ao estar mais atualizado e ao ter mais conhecimentos torna-se mais eficiente e as empresas estarão mais predispostas a contratá-lo.”

   

Pedido de mais informações

Newsletter Contactar